Transmissão e subestações


Um conjunto de linhas de transmissão interligadas a subestações, cortando várias regiões geográficas do Brasil, forma o que comumente se chama de Sistema de Transmissão. Deste sistema, mais de 20.000 km fazem parte da rede básica de FURNAS, configurada em linhas com tensões de 138, 230, 345, 500, 750 e ± 600 kV, que passam por oito estados e o Distrito Federal.

O Sistema FURNAS é supervisionado de forma geral pelo Centro de Operação do Sistema, em articulação com os centros de operação regionais. Informações das mais remotas áreas regionais são transmitidas por meio de tecnologias de comunicação que levam a estes centros de operação um panorama on-line completo de todo o sistema, utilizando sistemas computacionais de tempo real (SOL) e tecnologias de última geração videowall.

Os centros de operação regionais têm como principais encargos a coordenação de manobras e a normalização do sistema elétrico após eventuais perturbações. São quatro centros:

  • Centro Regional Minas, localizado na Usina Hidrelétrica de Furnas, em cuja área de responsabilidade estão incluídas as usinas do rio Grande;
     
  • Centro Regional Rio, localizado na Subestação de Jacarepaguá, cuja área de responsabilidade inclui os troncos de alimentação dos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo;
     
  • Centro Regional São Paulo, localizado na Subestação de Campinas, cuja área de responsabilidade inclui os troncos de alimentação da grande São Paulo e o Sistema de Transmissão proveniente da Usina Hidrelétrica de Itaipu;
     
  • Centro Regional Goiás, localizado na Usina de Itumbiara, cuja área de responsabilidade inclui os troncos de alimentação aos estados de Goiás, Mato Grosso, parte do Tocantins e do Distrito Federal.

O Centro de Operação do Sistemae o Centro de Supervisão de Telecomunicações localizam-se no Rio de Janeiro.


Sistema Itaipu


Entre os empreendimentos construídos e operados por FURNAS destaca-se o Sistema de Transmissão de Itaipu, integrado por cinco linhas de transmissão, que cruzam 900 km desde o Estado do Paraná até São Paulo. Este sistema possui três linhas em corrente alternada 750 kV e duas linhas em corrente contínua ± 600 kV, necessárias para contornar o problema de diferentes frequências utilizadas por Brasil e Paraguai.


Subestações


FURNAS possui atualmente 55 subestações próprias, com capacidade de transformação de 110.721 MVA, e 27 subestações, com 25.766 MVA, sob o regime de parceria através de SPEs, totalizando 136.487 MVA de capacidade de transformação nas 82 subestações. FURNAS também possui subestações junto às suas usinas hidrelétricas e termelétricas.


Distrito Federal (3)

  • Brasília Geral 
  • Brasília Sul
  • Samambaia


Espírito Santo (2)

  • Viana 
  • Vitória


Goiás (7)

  • Bandeirantes
  • Barro Alto
  • Corumbá
  • Niquelândia
  • Pirineus
  • Rio Verde
  • Serra da Mesa


Minas Gerais (8)

  • Batalha
  • Furnas 
  • Itumbiara
  • Itutinga
  • Marimbondo
  • Mascarenhas de Moraes
  • Poços de Caldas
  • Porto Colômbia


Paraná (2)

  • Foz do Iguaçu 
  • Ivaiporã


Rio de Janeiro (15)

  • Adrianópolis
  • Angra
  • Campos
  • Campos (associada à usina)
  • Funil
  • Grajaú
  • Imbariê
  • Iriri
  • Jacarepaguá
  • Macaé
  • Rocha Leão
  • São Gonçalo
  • São José
  • Santa Cruz 
  • Simplício


São Paulo (9)

  • Araraquara
  • Cachoeira Paulista
  • Campinas
  • Guarulhos
  • Ibiúna
  • Itaberá
  • Luiz Carlos Barreto
  • Mogi das Cruzes
  • Tijuco Preto


Tocantins (1)

  • Gurupi


Subestações de Terceiros em processo de transferência para FURNAS (4):

Rio de Janeiro (3)

  • Resende
  • Baixada Fluminense
  • Zona Oeste


Minas Gerais (1)

  • Barro Branco