Plano de gestão ambiental


Os Planos de Gestão Ambiental são elaborados e implantados nas usinas e subestações da empresa pela equipe técnica ambiental de FURNAS, além de órgãos da companhia como: Engenharia Civil; Engenharia Mecânica; Materiais e Logística; Segurança do Trabalho e Saúde; Segurança Patrimonial; Produção e Manutenção.

Os Planos estão subdivididos em:

  • Análise Preliminar de Perigos/Riscos e Aspectos/Impactos Ambientais (PRAI): sistematiza o processo para a identificação e avaliação de Perigos/Riscos relacionados à saúde e à segurança do trabalho. Também abrange Aspectos/Impactos relacionados ao meio ambiente nas atividades, produtos e serviços decorrentes de situações normais e emergências nas etapas de construção, operação e manutenção das instalações da empresa.
     
  • Plano de Atendimento às Emergências (PAE): fornece diretrizes e informações, visando à adoção de procedimentos lógicos, técnicos e administrativos de forma estruturada. Propicia, ainda, respostas rápidas e eficientes em emergências, a fim de conter e/ou minimizar riscos ou prejuízos à pessoa, ao meio ambiente e ao patrimônio da empresa. FURNAS realiza treinamentos e exercícios simulados com as equipes envolvidas para o bom funcionamento do PAE.
     
  • Plano de Monitoramento de Efluentes e Qualidade de Água (PMEQA): estabelece procedimentos visando o controle da qualidade da água para consumo humano, o tratamento dos efluentes líquidos sanitários e industriais, segundo as exigências legais federais, estaduais e municipais. O plano contempla as normas e as metodologias aplicadas, parâmetros analisados, locais de coletas de amostras e períodos de amostragem.

As análises de monitoramento dos efluentes são realizadas em laboratórios que possuem pelo menos um dos seguintes requisitos:

  • Acreditação na IEC/17.025 para efetuar as análises em questão
     
  • Possuir gestão de qualidade nos moldes da IEC/17.025 e certificação pelo órgão ambiental estadual para efetuar as análises em questão.


Plano de Gestão de Resíduos (PGR)

Estabelece critérios, procedimentos e medidas para controle dos resíduos gerados pelo empreendimento desde a geração, considerando: classificação, sistematização da segregação, acondicionamento, coleta, triagem, armazenamento, transbordo, transporte, destinação final de resíduos (reciclagem, reutilização, recuperação e tratamento) e disposição final de rejeitos. Todos os procedimentos têm como base a legislação ambiental em vigor, Normas Técnicas da ABNT e as exigências das entidades ambientais. As ações são amplamente divulgadas na empresa, que ministra treinamentos técnicos sobre o gerenciamento correto de resíduos em FURNAS.

Em atendimento ao Decreto Presidencial nº5940/2006, FURNAS mantém Termo de Compromisso firmado com Cooperativas e/ou Associações de Catadores de Materiais Recicláveis. No documento, a empresa se compromete a disponibilizar os resíduos recicláveis e parte da sucata metálica gerada nas suas usinas e subestações.


Gestão de Resíduos (GRI G4-DMA)

Resíduos perigosos como óleo mineral isolante usado, óleo lubrificante, baterias e pneus de diversas medidas são encaminhados para empresas especializadas e credenciadas, a fim de realizar o tratamento correto e disposição.


Coleta Seletiva Solidária

Desde 2008, FURNAS mantém uma Comissão da Coleta Seletiva Solidária, que trabalha para melhorar o aproveitamento de resíduos em processos de reutilização e reciclagem. Atualmente, a coleta seletiva vigora em 37 unidades de FURNAS, entre escritórios, usinas hidrelétricas e subestações. A empresa também sediou, no Rio de Janeiro, um dos importantes eventos sobre a coleta seletiva solidária: o 1° Fórum dos Órgãos Federais (2008); e o Fórum Internacional: Rede por um Futuro Melhor, promovido em 2013 pela Rede Nacional de Mobilização Social (Coep) e o Centro para Inovação Comunitária da Universidade de Carleton, no Canadá. A empresa apoiou, ainda, a Expo catadores 2013, em São Paulo.


Relatório Semestral da Coleta Seletiva Solidária

2018 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2017 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2016 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2015 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2014 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2013 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2012 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2011 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2010 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2009 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre

2008 - Primeiro semestre  |  Segundo semestre


Sistema de Gestão Ambiental (SGA)

Avalia e controla os impactos ambientais das atividades operacionais da empresa, bem como propicia a melhoria contínua de seus processos. O SGA é ferramenta eficaz para a consolidação da Política Ambiental de FURNAS. Entre os empreendimentos da empresa, a Subestação Ibiúna (SP) recebeu dois certificados: um do Bureau Veritas Quality International do Brasil/Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro), em nível nacional e outro do BVQI/Raad Voor Accreditatie (RVA), em nível internacional. Este mesmo certificado foi concedido à Subestação de Foz do Iguaçu (PR).

A Gerência de Engenharia Ambiental orienta o quadro funcional quanto às diretrizes para gestão ambiental, sempre com a prerrogativa de resguardar a integridade das pessoas, do meio ambiente e da empresa.